sexta-feira, outubro 05, 2007

Tempo

.
.
.


Pensar
que tu dormias nos meus olhos,
árvore,
folhagem pousada no vento
e em mim
que sou do vento
e dos muros escolhidos pelos pássaros.
De repente é tudo tão antigo
os bancos das praças
os navios,
ainda ontem estavas nos meus olhos.


#22. Paula Rego, fragmento de pintura.

2 comentários:

patas disse...

tão profundo,tão bonito,
vou começar o meu dia melhor. obrigado

Victor L. disse...

Obrigado Patas.