domingo, outubro 21, 2007

Uma rua

.
.
.



Atravessa uma rua qualquer
sem medo de tocar em mãos desertas
.

Não fujas das vozes que te chamam
aprende a caminhar no chão antigo
e talvez encontres a direcção do vento.

Olha de frente as sombras que são tuas
e vê.



#24. Julia Margaret Cameron, fragmento de fotografia.

10 comentários:

pilar disse...

Contigo aprendi muitas coisas e espero continuar a aprender.

Obrigada por mas um POEMA.

Victor L. disse...

Pilar,
Também eu digo obrigado.

mena disse...

Sim, obrigada a quem ainda acredita que com as palavras se pode criar o Universo.

patas disse...

Ainda há vento...

Victor L. disse...

As palavras e o vento. Obrigado Mena e Patas.

patas disse...

PARABÉNS, mais uma vez

@nne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
@nne disse...

Uma prenda: http://catalogue.montevideo.nl/, este site ja e fix, mas depois pesquisa 'poem 5'
et voila

São disse...

Só hoje passei por aqui e, o que eu perdia se não passasse!...uma emoção forte trazida pela poética das palavras e dasimagens,
cruzando-se,fundindo-se, ocupando o lugar certo. O lugar da alma.
Hei-de "pisar mais vezes o chão antigo" para encontrar "a direcção do vento".
Um grande abraço
São

Victor L. disse...

Palavras que sabe bem ouvir. Obrigado, São, pelo comentário.